domingo, fevereiro 16, 2014

Moulage I - Livro "Draping: The Complete Course"

Uma das disciplinas do curso de Modista de Atelier é Moulage. 
Moulage (ou Draping em inglês) é a técnica de modelar uma peça em pano cru directamente no manequim ou busto. Esse molde em pano cru, também chamado toile, onde fazemos todos os ajustes e alterações durante a prova é que serve depois de molde para o tecido definitivo. 
É uma técnica muito utilizada em Alta-Costura pois permite uma maior liberdade criativa à medida que se vai vendo o progresso da construção da peça no manequim e o resultado imediato das alterações efectuadas (apertar, alargar, fazer uma prega ou uma pinça, ajustar uma manga, etc). É uma técnica também especialmente indicada para drapeados e cortes em viés, pois permite apreciar o efeito do cair do tecido à medida que se vai modelando o tecido.
Eis algumas fotos das aulas:

One of the classes of my course of Milliner is Moulage/Draping. 
Draping (or Moulage in French) is the technique of positioning and pinning fabric on a dress form to develop the structure of a garment design. The fabric used is usually an inexpensive, unbleached cotton called muslin; after all the adjustments and changes being made is what will be used as a pattern to cut the definitive fabric.
It is a technique often used in Haute Couture as it allows a greater creative freedom as you will see the progress of the construction of the piece on the mannequin and the immediate outcome of the changes made (tight, extend, make a fold or a clamp, adjust a sleeve, etc). This technique is particularly suitable for draping and cut on the bias, since it allows to appreciate the effect of the fall of the fabric as it will being shaped.








 




Um dos livros de referência para esta técnica é o Moulage: arte e técnica no design de moda de Annette Duburg e Rixt van der Tol mas que de momento se encontra esgotado na versão portuguesa (parece que entretanto a editora brasileira já tem disponível mas ainda não chegou às lojas cá): 

One of the reference books is Draping: art and craftsmanship in fashion design by Annette Duburg and Rixt van der Tol which is not available at the moment in the Portuguese version:


Então, numa das minhas pesquisas, encontrei um outro livro do mesmo género que me pareceu também muito interessante: Draping - The Complete Course de Karolyn Kiisel (em inglês e encomendei aqui). Foi uma óptima compra, pois além de ser muito actual e trazer desde modelos clássicos a peças de designer que desfilaram por passarelles recentes, tem explicações com fotos passo-a-passo muito detalhadas e traz ainda um DVD com tutoriais. Recomendo! Seguem-se algumas fotos (podem também espreitar no site da Amazon - ver no link acima):

So, in one of my researches, I found another book in the same genre that seemed also very interesting: Draping - The Complete Course by Karolyn Kiisel (I ordered here). It was a great purchase, besides being very recent and bringing from classic patterns to designer pieces that paraded by recent passarelles, it has very detailed explanations with pictures step by step and also brings a DVD with some tutorials. I recommend! Here are some pictures (you can take a look inside also at Amazon - see link above).








  


6 Comments:

Blogger Tany said...

Olá Celina,
Tenho os dois livros!! Consegui o primeiro no wook.pt (versão português do Brasil) e o segundo comprei logo de seguida... A Moulage é uma arte que me fascina, dá-nos toda a liberdade criativa e depois de dominada torna-se muito mais fácil e intuitiva que o desenho plano... Também recomendo vivamente ambos os livros! E que inveja das tuas aulas, ai, ai,...
Beijinhos e um abraço forte!
Tany et La Mode
Couture et Tricot

17/2/14 15:46  
Blogger A Rebelde Sem Casa said...

Olá Celina. Bem vinda! Qual a tua opinião do ensino na Modatex? Vi um outro curso Costura I - (não tenho t€mpo para fazer o teu) e estou a pensar inscrever-me mas gostaria da opinião de alguém que já passou por lá.

18/2/14 14:34  
Blogger Celina said...

Tany: Pois, duas colegas minhas do curso ainda apanharam o 1º livro na Fnac... quando tentei, mesmo na wook.pt já estava esgotado! O nosso prof. de Modelagem entretanto escreveu para a editora brasileira e foram eles que disseram que já tinham reeditado. As aulas de Moulage deram para "abrir o apetite" mas aquilo é todo um mundo que requeria muitas mais horas, tal a quantidade de técnicas e detalhes que se devem ter em atenção. Eu e as minhas colegas já estamos a pensar em frequentar o curso só de Moulage que a escola também disponibiliza. Um beijinho grande.

23/2/14 16:51  
Blogger Celina said...

A Rebelde Sem Casa: Obrigada pela tua visita e pelo teu comentário. O ensino na Modatex é muito bom e eu aconselho o curso de Costura I, se não podes fazer o de Modista de Atelier. O curso de Costura I é de confecção "pura e dura": os alunos recebem as peças já cortadas e depois confeccionam-nas. Começam pelos artifícios (nervuras, bainhas, golas, punhos, paletas, carcelas, bolsos metidos, etc) e depois passam para a confecção das peças: saias, camisas e calças (vestidos e casacos já fazem parte da Costura II mas para fazer este é pré-requisito ter feito Costura I). As peças são escolhidas pela escola em termos de modelo, tecido e tamanho, pelo que não esperes ir confeccionar peças à medida ou ao teu gosto, como em certos workshops/escolas que existem por aí. O curso é mesmo vocacionado para a confecção e para a aprendizagem das técnicas subjacentes a cada peça. Como em tudo, a experiência também depende do formador e eu não me posso queixar, tivemos a sorte de nos calhar uma das melhores formadoras de costura da escola, a formadora Elisa Carvalho, que tem uma longa experiência em costura, indústria e atelier e é inexcedível em simpatia e atenção. Em geral, tivemos bastante sorte com os formadores, não desvalorizando os outros, porque todos os que lá estão são bons ou não estariam lá (já deu para perceber que a escola zela pelo interesse dos alunos e é exigente com os formadores que tem) mas os nossos são excelentes nas suas áreas e penso que não podíamos ter melhor.

Ainda relativamente à qualidade do ensino na Modatex, só para ficares com uma ideia, há alunos de cursos superiores de Design de Moda a fazerem cursos ali para complementarem a formação prática, pois na universidade não aprendem o que aprendem ali em termos técnicos. Não esquecer que a Modatex (ex-Civec) é uma escola profissional vocacionada para a indústria e para o mercado de trabalho, responsável pela formação de muitos dos profissionais do sector da moda e da indústria em Portugal... Posto isto, e sem estar aqui a fazer a apologia cega da escola, acho que o curso de Costura, ou outro, é um bom investimento, porque o preço dos cursos sai bastante em conta, para as horas que são e a formação que disponibilizam, acabando por ter provavelmente a melhor relação qualidade-preço do mercado.

Depois de te inscreveres, serás chamada para uma pequena entrevista de selecção/sessão de apresentação do curso. O próximo curso de Costura I em Lisboa, pelo que vi no site, está previsto começar em Setembro, mas nada como contactar directamente a escola, pois consoante as inscrições as datas podem ser alteradas.

Espero ter ajudado. A decisão é tua, mas caso optes por ir acho que não te irás arrepender. Vai dando notícias.
Beijinhos e até breve.

23/2/14 17:28  
Blogger A Rebelde Sem Casa said...

Olá Celina, muito obrigado por todas as informações que deste. Desde o último comentário que deixaste, surgiram algumas questões profissionais que se calhar vão adiar a frequência do curso para 2015 (não vale a pena inscrever-me se depois tenho de faltar às aulas por causa do trabalho).Obrigado mais uma vez e desejo que o teu curso continue a correr-te bem. Bjs

23/2/14 20:11  
Anonymous João Costa said...

Olá!

O meu nome é João Costa e desde 2012 que faço voluntariado com a Academia Cidadã ( http://academiacidada.org/).

No seguimento desta campanha internacional de acções directas, TTIP GAME OVER (https://ttipgameoverblog.wordpress.com/) e pegando na ideia de uma pessoa que fez este evento (https://www.facebook.com/events/1599023537094913/), venho então lançar-vos um desafio.

Juntamente com o colectivo Climáximo (https://climaximo.wordpress.com/) estamos a preparar algumas acções para sensibilizar a população para o problema das alterações climáticas e da nossa falta de respeito pelo planeta.

Uma das acções é :

Durante um período de tempo (1, 2 ou 3 meses), seria cozida uma linha vermelha. A ideia é que este processo ocorresse descentralizadamente, pois quero lançar o apelo a várias pessoas/grupos. Podem ser utilizadas quaisquer técnicas para cozer a linha, pretendemos apenas que se recorra o mais possível a tecidos/lãs usadas.

Depois desse período de tempo, faríamos um evento que serviria para unir todas as linhas vermelhas numa só. Esse evento seria “festivo” e poderia também ter uma acção simbólica incorporada.


Esta ideia ainda é um embrião, estou completamente aberto a sugestões.

A ideia é juntar pessoas, associações, colectivos e quem mais se queira juntar. Não pretendo que este evento esteja directamente relaccionado com alguma “marca” ou associação em concreto. É para ser um evento o mais cidadão possível.


Contacto-vos para vos desafiar a participar e/ou divulgar este evento. Queremos que o evento seja a nível nacional.


Razões para o fazermos :

"Para atingir o objectivo de manter o aumento da temperatura global abaixo de 2ºC, temos de deixar 80% das reservas presentemente conhecidas de combustíveis fosseis debaixo da terra. “

A expressão “combustíveis fósseis” aparece apenas duas vezes no texto da COP21 e apenas em referência à redução dos subsídios para combustíveis fósseis. É impossível fazer cortes de emissões significativos sem confrontar directamente a indústria dos combustíveis fósseis.

Porque queremos MUDAR o nosso consumo energético e modo de produção de energia, estamos dispostos a fazer uma linha vermelha de 943Km.

Esta linha vermelha quer ajudar a tornar visível a voz dos que têm dito e repetido - NÃO - à prospecção e exploração de hidrocarbonetos - aqui e no mundo. Já chegámos ao limite de um paradigma energético baseado em combustíveis fósseis.

Esta linha vermelha pretende representar o limite a que chegámos e que não devemos ultrapassar.


Em Portugal foram feitas várias concessões para a prospecção e exploração de petróleo e gás e perante o cenário a nível mundial, é inadmissível que pactuemos com estas concessões.


Espero que aceitem o meu desafio, seja a nível pessoal ou como equipa. Como preferirem pois o objectivo é juntar pessoas.


Este processo está previsto começar em meados de Setembro/Outubro.

Obrigado pela vossa atenção


Aguardo pela vossa resposta

Cumprimentos cidadãos

João Costa
917714327
joaocosta@academiacidada.org

Dentro de cada pessoa há uma paisagem e indígenas somos todos. :)

8/8/16 11:33  

Enviar um comentário

<< Home